Bahia

MORRO DO CHAPÉU: Denúncias apontam situação de risco em escolas municipais

MORRO DO CHAPÉU: Denúncias apontam situação de risco em escolas municipais

PAIS DENUNCIAM PÉSSIMAS CONDIÇÕES DAS ESCOLAS MUNICIPAIS
Pais de alunos de várias escolas municipais de Morro do Chapéu relataram a preocupação e indignação quanto às condições das escolas dos filhos, a maioria se encontra em péssimas condições.
Cadeiras quebradas, muro prestes a cair, paredes rachadas, fossa ameaçando abrir, vidros quebrados, cadeiras danificadas, lixo no pátio, muita lama e entulhos, são apenas alguns dos vários fatores de riscos apresentados pelos pais durante reportagem da rádio Brilhante FM.
A situação mais crítica ocorre na escola municipal Reinaldo Moreira, no centro da cidade, onde na manhã desta sexta feira (09-02) aconteceu uma reunião organizada pela direção da escola, com expressiva participação dos pais, os quais ficaram revoltados com o descaso do poder público.
O senhor Ney participou da citada reunião e demonstrou sua decepção à equipe da Brilhante FM: “Matriculei meu filho na escola, vim aqui conhecer, pensei que era uma coisa, vim aqui e vi que é outra, a situação aqui é crítica, estamos muito tristes, não era nem pra começar as aulas na situação que a escola se encontra, é uma vergonha.”
Outro pai indignado, senhor Erivaldo, veio da roça para participar da reunião e relatou que: “A gente tá comparando a escola com um corpo em decomposição, nós vamos tomar providências disso, não vamos pegar nosso filho e jogar numa situação dessa não”, desabafou.
Dona Ângela comparou a escola da filha a uma cadeia. “Quando cheguei aqui eu pensei que era uma cadeia, é a primeira vez que minha filha vai estudar aqui, eu achei péssimo, não há condições de uma criança estudar aqui”, disse indignada.
Ainda sobre a escola Reinaldo Moreira, outra mãe relata também o risco de proliferação do mosquito aedes aegypti, causador de várias doenças. “Na escola não tem combate nenhum, a escola está rodeada de água, então fica difícil a gente combater o foco do mosquito em casa, quando na escola, onde os filhos da gente vão estudar, está lá correndo riscos. É preocupante, uma escola no centro da cidade e numa situação daquela, é inacreditável, só vendo pra crê”.
Segundo denúncias feitas à emissora, existe a necessidade da manutenção em praticamente todas as escolas do município, da sede ao interior.
Na comunidade de Mônica, a única escola da comunidade não foi reformada e há um barranco que oferece risco para crianças pequenas que vão começar a estudar. “Vai começar as aulas e tem uma barroca enorme atrás da escola, como as crianças poderão brincar e se cair na barroca acontecerá o que?” questionou uma mãe, cobrando providências.
De acordo com um ouvinte, na comunidade de Beira do Rio, os alunos não têm onde estudar, inclusive, no final do ano passado tiveram que abandonar a escola para estudar em pequenos cômodos.
A vice-prefeita do município, Juliana Araújo (PR), também participou do jornalismo e demonstrou sua indignação com o descaso da administração. “Estou estarrecida, a vontade que tenho é de chorar, me coloco no lugar dessas mães e desses pais, recebi as fotos, uma verdadeira vergonha. Eu estive na Mônica ano passado, relatei à situação a gestão e nada foi feito. Eu fico pensando o que será das nossas crianças com escolas como essas. Quando a gente é mãe, nos colocamos no lugar desses vários pais e mães, eu fico triste, decepcionada.”

Da Redação

Site Master

10 de fevereiro

Nenhum comentário

[supsystic-social-sharing id="1"]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *